Como escolher uma instituição de longa permanência

October 18, 2017

 

Quando a família opta por tirar o idoso de casa e colocar em uma instituição de longa permanência é, geralmente, porque não há outras opções, como mantê-lo em sua própria residência com um cuidador ou na casa de algum parente que possa ajudar nos cuidados. As razões podem ser variadas, como o idoso ter chegado a um grau de dependência em que seus familiares não dão mais conta.
Escolher uma instituição de longa permanência não é tarefa fácil. O ato exige muita responsabilidade na observação das facilidades, serviço e infraestrutura local e também envolve, na maioria das vezes, muito sentimento de culpa entre os familiares que, por mais que entendam que estão fazendo o melhor, costumam ser atormentados pela ideia (e muitas vezes julgamentos de terceiros) de que estão “abandonando” seu idoso.
Algumas questões precisam ser examinadas logo de início. Por exemplo, se a instituição tem todas as licenças necessárias para funcionamento. Todos os estabelecimentos desse tipo precisam do Cadastro Municipal de Vigilância em Saúde. Assim, a primeira providência a ser tomada é checar, por meio do CNPJ da instituição, a situação dela junto aos órgãos competentes.
Deve-se balancear a relação custo x benefício, avaliando a estrutura, localização, profissionais e serviços da ILPI. A família e/ou idoso devem estar atentos aos documentos que indicam uma boa atuação: alvará de funcionamento, alvará sanitário, AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) e FIC (Ficha de Inscrição Cadastral).
Parece estranho, mas a maioria das instituições não tem alvará de funcionamento da Saúde e dos Bombeiros. Atualmente, estima-se que apenas 20% de TODOS os estabelecimentos situados, só na região, tem seus documentos em dia.
Outra dica importante é conversar com idosos internados ou familiares deles para saber mais sobre a ILPI. A instituição deve oferecer infraestrutura adequada, serviço completo de hotelaria (refeições orientadas por nutricionistas), serviço de lavanderia, acompanhamento médico, enfermagem 24 horas por dia, atividades recreativas e terapia ocupacional. Quanto mais informações conseguir, melhor. 

 

Colaboração :
Jacqueline Braz França Amaral Carneiro 
Pedagoga, Pós graduanda em Gerontologia e Saúde Mental, Diretora Geral do Senior Club Hotel e Residência Assistida ao Idoso.

Please reload

Mais Recentes

January 22, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Tags
Please reload

Siga-nos!
  • Revista La Femme no Facebook
  • Instagram